Quem somos

A Histórica Fazenda do Socorro

eu amo vacaria
Nas paredes e nos objetos a Fazenda do Socorro conta um pouco de sua história.
Uma das primeiras fazendas do Rio Grande do Sul.
Um marco da história de Vacaria.
A fazenda mais antiga da região, é um patrimônio cultural  do município de Vacaria.
A fazenda do Socorro em Vacaria tem sua origem no século XVIII, quando paulistas vinham até a Baqueria de los Piñares buscar o gado para ser vendido na Feira de Sorocaba.
As terras da Fazenda do Socorro foram doadas em sesmarias, no ano de 1770, por ato do Governador Geral do Brasil, General Gomes Freitas de Andrade , o conde de Bobadella a José de Campos Brandeburgo, paulista,que foi um dos primeiros povoadores dos Campos de Vacaria. Ela levou o nome de Sesmaria de Nossa Senhora do Perpétuo
Socorro , que é a Padroeira da capela da fazenda, localizada a 18 quilômetros da sede de Vacaria, que possui um altar Barroco trazido de Porto Alegre por uma das últimas proprietárias da fazenda-Lourdes Noronha.

eu amo vacaria







Disputa entre os herdeiros
A fazenda por ter uma área muito grande foi palco de disputas por parte de diversos herdeiros de José Campos,que teve uma única filha chamada Clara Jorge, casada com outro grande Sesmeiro de Vacaria Manoel Rodrigues de Jesus e Ela foi palco de diversos acontecimentos trágicos,quando Manoel Rodrigues , ao ficar viúvo em 1815,dividiu suas propriedades entre seus filhos. Ela praticamente entrou em ruínas, até que foi comprada por Marcos Flores de Noronha, que a transformou em um estabelecimento próspero. Quando morreu deixou de herança para sua filha Lourdes Noronha,que a transformou em estabelecimento exemplar e dedicou-se a restauração da casa e da capela, hoje Patrimônio Histórico e Cultural do Município de Vacaria.


eu amo vacaria
Essa foto de Fazenda do Socorro é cortesia do TripAdvisor




Fazenda do Socorro - Vacaria/RS





Fonte: https://www.ucs.br/ucs/tplJovensPesquisadores2008/pesquisa/jovens_pesquisadores_2008/resumo/humanas/fernandavieira.pdf

Postar um comentário

0 Comentários